Dicas
07 ago 2017

Presentes criativos para o Dia dos Pais

Esse ano, o segundo domingo de agosto terá um gostinho especial em nossa casa… É o primeiro em que o marido ganhou o papel de super pai e temos muito o que comemorar! Para já começar a celebrar essa data importante, compartilho ideias para presentes criativos para o Dia dos Pais! Mas claro, jamais podem vir sem um cartão feito à mão e cheio de carinho, hein? Combo perfeito para surpreender e agradar nosso super-herói seja qual idade a gente tiver!

Kit Pipoca para a família toda curtir juntinha

Saleiro e Pimenteiro Batman 

Presentes criativos para o Dia dos Pais

Para hoje, as boas sugestões vêm todas de um mesmo site, descoberta recente e com ótimas surpresas: loja online de objetos criativos para decor e utiliários Funstock! Quem já ouviu falar? O e-commerce criativo reúne objetos de decoração, presente para homem, uma infinidade de ideias de presente criativo e até mesmo artigos de necessaire masculina! Ou seja, ideal para já começar a pesquisar mimos para a data!

Lista completa de presentes criativos para o Dia dos Pais aqui.

Seleção divertida de presentes bem humorados

  1. Capacho Batman DC Comics
  2. Caneca Homem-Aranha
  3. Porta-Tampinhas de Cerveja (letreiro BAR)
  4. Cofre Capitão América
  5. Almofada Secreta Poderoso Chefão (dá pra acreditar que é porta copo/garrafa?)
  6. Quadro Bloco Pai (quadro com frase)

E olha: não importa se seu pai é retrô, boêmio, geek, cozinheiro ou cinéfilo. Tem muitas opções de produtos para todos os gostos e para todos os bolsos! E não precisa esperar pelo dia dos pais para fazer um agrado em seu velho! Afinal de contas, nunca é demais receber um mimo de quem você mais ama, não é mesmo?!

Código promocional do blog + entrega vapt-vupt: com o cupom  COLACORELINHA10, você ganha 10% na primeira compra! E outra coisa boa: tem um sistema de entrega relâmpago para cidade de SP pra você que precisa de um presente pá-pum em sua casa!

Fica a dica do Cola e alguns produtos bem humorados para seu lar doce lar!

Dicas
19 jul 2017

Manualidades de Ilhabela #2

Chegando por aqui mais uma edição das manualidades de Ilhabela! Deu tanto prazer abrir espaço para as marcas handmade locais e sentir uma recepção calorosa e carinhosa que já tratei de selecionar mais duas para essa semana! Vem comigo? Para hoje, tem marca para decorar e para alimentar! Dos nós ao fermento! Porque tudo que é feito à mão e com dedicação traz mais prazer e bem-estar, pro corpo, para cabeça, pra casa.

Conheçam abaixo Julie Fox e Natural da Ilha! Marcas de meninas estudiosas e dedicadas que mudaram há pouco para Ilhabela e empreendem com muito empenho e paixão por suas artes.

Julie Fox

Moça das mãos habilidosas e de muitos talentos artesanais, Cris Zordan, mergulhou no universo do macramê ao final de de 2015. A marca Julie Fox leva o nome de sua simpática cachorrinha com jeito de raposa e desde seu surgimento em SP, antes de sua vinda para Ilha, já ganhou foco nos nós e amarrações dessa técnica versátil.

Quem conhece as peças da Cristina e suas diversas variedades de hangers percebe o quanto ela é dedicada a desenvolver novos modelos, se aprofundar nessa arte e profissionalizar seus produtos. Hoje em dia, suas criações manuais são vendidas tanto em sites e redes de grandes lojas, como no comércio local da Ilha e sob encomenda. A Julie Fox apresenta penduradores para diferentes finalidades: para erguer plantas, dispor uma fruteira de forma criativa, elevar um caixote, criar uma composição de cachepôs.

Hanger virou tendência e reinventou o macramê! Além dessas peças, Cris também desenvolve cestos de crochê que podem organizar ou decorar. Produtos feitos com carinho, com materiais bem escolhidos, dedicação no desenvolvimento e muito bem feitos! Dica de quem usa e tem em casa. Dá para contatar a marca via e-mail contato@juliefox.com.br ou acompanhar as novidades lá no instagram! E pra quem é da Ilhabela, pode ver com as mãos e ao vivo no Mercado das Artes e Teiu Arte.

Natural da Ilha

A vontade de viver bem que permeia nossa Ilhabela faz muita gente melhorar a alimentação, curtir produtos e ingredientes mais naturais e procurar por marcas de alimentos artesanais. O costume de fazer encomenda de tortas, pães, quiches, geleias, ghee feitos em casa é super presente e um hábito muito prazeroso. Tem muita gente que veio pra cá e se embrenhou na culinária e é uma delícia prestigiar esses novos empreendedores do mundo dos sabores. Um bom exemplo é a Marilia Gomes, da marca Natural da Ilha, que recentemente se mudou para Ilhabela e começou a se dedicar à produção de pães artesanais com fornadas semanais e cuidadosas.

Se antes produzir pães em casa era um hobby, ao decidir viver em Ilhabela com o marido, essa atividade se tornou profissional e uma gostosa missão. Hoje a Natural da Ilha assa uma fornada por semana, sempre aos sábados, e desenvolve suas variedades a partir do próprio fermento natural, produzido e alimentado pela Marília. A recente moradora desenvolve o tipo de pão chamado de Sourdough, e para quem não conhece, ela explica suas características: ele é rústico, de casca crocante, miolo de alvéolos irregulares, e sabor e aroma de um leve azedo. ​Esse tipo de pão leva muitas horas de fermentação, tem digestão mais fácil e de quebra dura mais tempo.

Marília entrega seus pães quentinhos logo após assar aos sábados de manhã e na casa de cada cliente. Uma experiência deliciosa receber a variedade da semana (sempre duas possibilidades) embrulhadinhos no papel personalizado e fio twine. Capricho que só uma marca handmade proporciona! Ah, e se eu puder dar uma dica bem pessoal é: pode apostar no pão com azeitonas de olho fechado! Fiquei maravilhada com o sabor para comer com manteiga ou azeite. Hum… Para quem ficou com água na boca, esses são os contatos para também pedir sua encomenda: (12) 9 9651-3004 e produtosnaturaldailha@gmail.com.

O que acharam das marcas escolhidas para essa semana? Cola indica e fica super feliz em apresentar a vocês aqui!

Dicas
07 jun 2017

Coleção de tecidos Recortes por Ju Padilha

Quando a gente está no mundo da criatividade online, seja em blogs, seja no instagram, seja na redação de conteúdos há tanto tempo (já são uns 8 anos!), esse universo se torna como uma grande família e repleto de amizades! E de torcida!

Hoje, venho compartilhar uma alegria gigante! Afinal, não é sempre que uma amiga lança uma coleção do produto que mais tem a ver com o seu trabalho. Isso é uma super conquista! E quem tem essa boa nova para contar é a amiga e maker, crafter, artesã contemporânea, Ju Padilha! A Ju acaba de lançar sua coleção te tecidos Recortes pela marca Fernando Maluhy. Uma coleção com a sua cara, suas cores e feita, como o nome diz, a partir de recortes manuais. Vamos prestigiar e comemorar?

A Ju Padilha conta que pensou a paleta de cores e padronagens da coleção de forma que todos os tecidos combinem entre si. Os tons conversam muito com seu trabalho e reconhecemos seu estilo logo a primeira vista! Isso é super legal!

Palavras da criadora

Vejam o que mais ela conta sobre esse lançamento: “Por quê a minha coleção de tecidos chama “Recortes”? Porque os padrões foram feitos de forma artesanal, a partir de recortes de tecidos lisos, onde cortei as formas e compus a geometria, depois foram digitalizados para formar as estampas! Simplesmente porque aqui as mãos adoram um fazer e não sabem ficar paradas!”

Quer saber como ter esses retalhos nas suas mãos para criar? A própria Ju Padilha vende online, tem na marca Fernando Maluhy e está chegando em lojas e armarinhos.

Para quem estiver em São Paulo, dá para conhecer tecidos e Ju num evento bem bacana oferecido pela marca Fernando Maluhy amanhã. Ah, e de quebra ter uma apresentação sobre cores e uma oficina criativa! Se eu estivesse na capital, não perderia. Vai lá! Cola indica!

Moda Criativa
05 maio 2016

Fashion Revolution – #Euseiquemfezaminharoupa

Você já parou pra pensar de onde vem a sua roupa? Por que mãos ela passou, quem fez, como fez, quem criou…? Pois é… Pouca gente pensa. Mas é com base nesses questionamentos que o movimento Fashion Revolution quer chamar a atenção dos amantes e consumidores do mundo da moda.

WMYC_black_2-700x373

Tudo bem que a Fashion Revolution Week aconteceu na semana do dia 18 ao dia 24 de abril, mas nunca é tarde para atentar para um movimento tão importante e uma questão que precisa ser pensada por todos nós.

Fashion Revolution Day

Em 2013 aconteceu uma catástrofe em Bangladesh. Um prédio de oito andares que abrigava confecções desabou no dia 24 de abril. Muitos trabalhadores saíram feridos e muitos outros não saíram dessa. Mesmo com o aviso para livrarem o local por motivos de segurança, as empresas donas das confecções mandaram que continuasse o trabalho ali mesmo. Esse descuido e descaso resultaram na tragédia que foi.

O 24 de abril passou então a ser símbolo da Revolução da Moda (Fashion Revolution), com o objetivo de evitar mais acidentes como esse e também para evitar que tal acontecimento caia no esquecimento da mídia, das indústrias e de todos nós, os consumidores.

Who-made-my-clothes

O problema

Sem querer minimizar a responsabilidade do ritmo fast fashion (significa uma produção rápida e contínua com menor qualidade e preços mais acessíveis) das grandes empresas de varejo, mas, no mundo globalizado, se seguimos a cadeia de produção da moda e de responsabilidades, chegamos a nós. Dessa forma, querendo ou não, conscientes ou não, estamos todos envolvidos na tragédia de Bangladesh.

Nós, como consumidores, financiamos condições ambientais e sociais tanto de produção de tecido quanto das condições de trabalho de costureiros… E nem atentamos para isso! Nós desconhecemos o processo produtivo e somos condicionados ao consumismo exagerado.

O movimento

Nada mais justo então, que nós, consumidores, atentarmos para maior conscientização desse movimento de revolução no mundo da Moda. E é exatamente esse pensamento que o Fashion Revolution traz: sensibilizar e conscientizar a sociedade e a indústria textil e de moda quanto ao real valor e o impacto social e ambiental de todos os processos. Da matéria-prima ao consumo.

O movimento foi criado em Londres por duas designers e ativistas da moda sustentável (Carry Somers e Orsola de Castro) e hoje em dia já se espalhou por mais de 70 países.

A principal ação do movimento é através das mídias sociais: postando uma foto de si mesmo usando uma roupa que goste, porém vestida do avesso e com a etiqueta aparecendo, e o uso das hastags #quemfezminhasroupas , #fashrev , #whomademyclothes e também hashtags relativas à marca que está sendo questionada.

A solução

Parar de comprar, comprar só o essencial ou ainda cortar algumas marcas também podem ser atitudes de consumidores mais conscientes, mas isso por si só não soluciona o problema.

Complementar a isso – porque não adianta postar no facebook e só, né? – podemos sempre chamar nossa amiga criatividade para nos ajudar. Pode ser customizando, reciclando, pensando novas combinações, trocas, doações, garimpando peças em brechós e assim vamos…

"Compre menos, escolha bem, faça durar."

“Compre menos, escolha bem, faça durar.”

São atitudes criativas com um valor social altíssimo que andam junto com o pensamento de que não precisamos de maaaais roupas… E sim precisamos circular as que já existem.

Eu quero saber quem faz a minha roupa!

Além das dicas ali em cima, a próxima vez que for comprar uma roupa nova, procure produções alternativas, menores, que talvez a chance de você conhecer o processo produtivo e até o criador da marca/peça serão muito maiores – e melhores.

Dica

O app Moda Livre pode te ajudar a estudar as marcas e como elas acompanham, lidam e solucionam problemas relacionados à produção e à mão de obra das empresas.

O blog Um Ano Sem Zara mostra o dia a dia da fashionista e ex-consumista Joanna usando a criatividade e compartilhando várias combinações de looks com a mesma peça de roupa.

#ficaadica para você se sentir linda e mais consciente. O incrível do mundo da moda é a gente conseguir se vestir para nos sentirmos mais seguras e mais “nós mesmas”, não é? E isso não precisa parar de acontecer! Não se preocupe! Só que é legal a gente parar para pensar em tudo o que isso envolve e procurar outros meios de, além de nos sentirmos lindas, podermos ter a sensação de dever cumprido com a sociedade e meio ambiente.

Inspirações
13 abr 2015

Como se manter atualizada(o) e informada(o) – você tem uma tática?

Tem novo vídeo no ar e mais um tema útil e mega necessário para quem trabalha com criatividade!

Vamos dar o play? Deixem nos comentários o que acharam, os métodos que utilizam e o que gostariam que virasse pauta e bate-papo em vídeo!

agenda

 

Inscrevam-se no canal para receber seu alerta de novo conteúdo, ok?